terça-feira, 21 de agosto de 2012

Chuva mesmo em Goiás - só em meados de setembro para frente


Muitas pessoas me procuram em Goiânia para saber como será o tempo daqui alguns dias ou como o clima vai se comportar nos próximos seis meses. Elas se debatem com condições extremas para um clima tropical: umidade relativa muito baixa, ausência de chuvas, poeira, “ventania”, temperaturas mais baixas durante a madrugada... Com estas observações ou algum incômodo do cidadão dos tempos modernos, ao menor sinal da natureza, chegam à gente para ouvir explicações do ponto de vista meteorológico, sobre suas ansiedades cotidianas ou aos interesses momentâneos que estão objetivando. Quando se deparam comigo e observam que eu estou sempre pesquisando, observando e analisando o tempo e o clima, logo se apressam em chamar-me de ”homem do tempo”. Pois cada um a seu modo quer saber como o tempo irá comportar nos próximos dias.

Para mim é um grande prazer e uma grande alegria poder explicar, projetar e analisar com estes cidadãos o comportamento do tempo no passado, presente e futuro mais imediato. Pois sei que esse tema faz parte nosso cotidiano moderno e atarefado.

Ouço:  - Elder, qual será o tempo daqui a três dias ou no próximo final de semana?... - Eu vou pescar ou tem jogo no Serra Dourada..., será que vai dar tempo bom daqui a uma semana? ... - Por que está muito seco neste mês? ... - Nossa! tem quase dois meses que não chove, é normal isso acontecer?... - Não me lembro da última chuva, pois não presto muito atenção nestas coisas, mas será que vai chover no próximo fim de semana? Pois, tenho um casamento... - É normal ficar tão seco assim? Quando vem a estação das chuvas?...

Surgem muitas perguntas, piadas e dúvidas em relação ao tempo, clima, meteorologistas, climatologistas e previsores.

Podemos dizer que nesta época do ano, mês de agosto e meados de setembro, é a mais seca e com persistência de dias ensolarados, bem como ausência de chuva. O que ocorre em Goiânia e Goiás, nesta época, não está fora para os padrões climáticos, pois, são meses onde os índices de precipitação são mínimos, valores baixos de umidade, onde o pico da mesma, nas horas mais quentes, atinge valores inferiores 15%.

Pela climatologia goianiense já choveu no mês de agosto em anos anteriores. A média de precipitação na cidade para o mês é de 10 a 20 mm. Quando ocorrem estas chuvas, em agosto e primeira quinzena de setembro, são decorrentes do avanço de sistemas frontais (frente fria), oriundos do sul do Brasil.

Dentro das projeções climáticas, as chuvas mais significativas só chegam ao estado de Goiás a partir da segunda quinzena de setembro. Tem ano que as chuvas de estação atrasam, pois o clima não funciona com dia e hora marcada, e sim de acordo com a movimentação das massas de ar que se posicionam de forma sistemática, mas sem rigidez quanto à movimentação e espacialização pelo território brasileiro, dando uma configuração diferenciada e muitas vezes semelhante ao longo dos anos.

Outra pergunta que pode ficar no ar por aqueles que me questionam:
- Por que as noites de agosto estão frias e os dias ventosos? Pois, geralmente agosto já faz muito calor a partir do dia 10.
Geralmente o Anticiclone, um centro de alta pressão que se posiciona nas latitudes em torno de 30° sul, é responsável pela ventania e tempo bom dos meses de agosto e setembro. A massa de ar ao entrar em contato com o continente perde suas características úmidas e se tornam mais secas à medida que o ar vai se adentrando pelo continente. Como Goiânia está no “coração do Brasil”, o ar chega aqui mais seco, se misturando ao ar continental quente e seco já estabelecido, dando característica de secura nesses dias de agosto e setembro. Neste ano o Anticiclone está muito forte e próximo ao território Brasileiro, impedindo a entrada de frentes frias e umidade oriunda de sistemas frontais. Com isto temos um tempo mias seco. As noites mais frias são decorrentes da radiação noturna, ou seja, perda de calor noturno, decorrente da umidade baixa e ambiente propício ao declínio de temperaturas. Por outro lado, as condições de bloqueio atmosférico não deixam que as ondas de frio cheguem pela propagação de massas polares (que às vezes ocorrem). A dinâmica de massas de ar também impede o avanço de ar quente e úmido da Amazônia.

Concluindo: Ainda teremos dias secos até meados de setembro, mas com possibilidade ocasional de chuva fraca ou chuvisco fraco no leste do estado nestes últimos dias de agosto, devido à convergência de umidade que atua sobre o sul da Bahia, estendendo até o leste goiano, e quem sabe um resquício de precipitação para algumas áreas de Goiânia. É bom lembrar que as chances desta ocorrência não são grandes. Pode ser que fique mesmo só no aumento de umidade e de nebulosidade. Chuva mesmo, só a partir de meados de setembro!
Elder

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário